Nossos Clientes

cpfl

Resultado da associação entre a CPFL Energia e a ERSA Brasil, em meados de 2011, a CPFL Renováveis é o braço de energia renovável do grupo CPFL. 

A companhia, que já nasceu como a maior empresa da América Latina no segmento de geração de energia por meio de fontes renováveis, adquiriu integralmente, em maio de 2012, as sociedades “Atlântica Parque Eólico I, II, IV, V” (Complexo Atlântico), em Palmares do Sul (RS), que possuem, em conjunto, potência instalada de 120 MW.

O negócio foi firmado com a Cobra Instalaciones y Servicios, mas o valor da transação não foi divulgado na mídia. A Apsis presta consultoria em avaliações para CPFL Renováveis desde a sua criação, sendo responsável pelos laudos que deram suporte a esta recente aquisição.

braskem

As duas principais acionistas da Braskem – Odebrecht e Petrobras - anunciaram, em janeiro de 2010, a compra da petroquímica Quattor, controlada pela família Geyer. A operação criou uma superpetroquímica brasileira, que passou a ser a maior fabricante de resinas petroquímicas das Américas e a oitava do mundo. A negociação também marcou o retorno do poder da Petrobras nesse setor, após duas décadas de afastamento.

A Odebrecht e a estatal dividiram o controle da nova empresa, que passou a deter o monopólio na produção de resinas termoplásticas. As duas empresas entraram com R$ 3,5 bilhões de aporte - R$ 1 bilhão da Odebrecht e R$ 2,5 bilhões da Petrobras.
Para concretizar o negócio, foi criada uma holding, a BRK Investimentos Petroquímicos, com 93,3% do capital com direito a voto da Braskem. Em relação à holding, a Odebrecht detém 50,1%, e a Petrobrás, 49,9%. O acordo previu que as decisões fossem tomadas por consenso, o que garantia à estatal um poder de veto. Após a incorporação, que contou com laudos de avaliação da Apsis, a Braskem passou a ter 26 fábricas e produção de 5,5 milhões de toneladas de resina por ano, com a receita bruta chegando a R$ 25,8 bilhões.

equatorial

A Equatorial Energia é uma holding de distribuição de energia com participações diretas e indiretas nas empresas CEMAR, Geradora de Energia do Norte S.A., Equatorial Soluções S.A., Solenergias Comercializadora de Energia Ltda., Vila Velha Termoelétricas S.A. e CELPA.

A Centrais Elétricas do Pará S.A (CELPA) é a sua mais recente aquisição (final de 2012). A Apsis participou desta operação, avaliando o valor econômico das ações da CELPA,  que seriam revertidas em um aumento de capital.

ultra

Em 19 de março de 2007, foi anunciada a aquisição do Grupo Ipiranga pela Petrobras, pelo Grupo Ultra e pela Braskem por cerca de US$ 4 bilhões - sendo aproximadamente US$ 1,6 bilhão pago pelo grupo Ultra, US$ 1,1 bilhão pela Braskem, e o restante, US$ 1,3 bilhão, pela Petrobras.

A fusão dessas empresas as direcionou para um aumento de competitividade e maior inserção do país na economia mundial, visto que o setor petroquímico demanda robustez industrial.
Também marcou o retorno da Petrobrás ao setor, após ter vendido seus ativos dessa área no processo da privatização, trazendo um impacto relevante na petroquímica e na distribuição de derivados de petróleo. Foi uma importante etapa da consolidação desses segmentos.

Segundo o anuário estatístico da Associação Nacional do Petróleo (ANP), em 2007, a Ipiranga foi a segunda maior distribuidora de óleo diesel no país, ficando atrás apenas da Petrobras. Somadas, as duas dominavam cerca de 55% do mercado nacional. Inseriu-se entre as seis maiores distribuidoras de gasolina do Brasil, além de óleo combustível e querosene iluminante, bem como nas vendas de álcool etílico hidratado e postos de distribuição.
Neste processo de incorporação, a Apsis contribuiu com diversas avaliações.

gerdau

Líder na promoção de aços longos das Américas e uma das maiores fornecedoras de aços longos e especiais no mundo, a Gerdau atua em praticamente todos os estados brasileiros, além de possuir plantas industriais em 14 países, sendo listada nas Bolsas de Valores de Nova Iorque, São Paulo e Madri. Além do setor industrial, oferece uma gama variada de serviços e uma base comercial internacional.

Ao final de 2010, a Gerdau informou a aprovação do seu conselho pela incorporação da produtora de aços especiais Villares, sua controlada na época. De acordo com fato relevante publicado pela empresa na ocasião, o objetivo da siderúrgica com essa operação foi reduzir custos redundantes via “ganhos de escala, aumento de eficiências operacionais, comerciais e de gestão, além da simplificação da estrutura societária”.

Como parte da incorporação, a Gerdau emitiu 25.921.698 novas ações preferenciais para os acionistas da Villares, na proporção de uma ação preferencial da Gerdau para cada 24 papéis ordinários da Villares, cancelando o registro da empresa como capital aberto.
A avaliação feita pela Apsis para esta operação incluiu todas as 14 plantas industriais localizadas em diferentes países - como Espanha, Canadá e EUA - e todos os ativos operacionais relevantes da empresa, incluindo investimentos em outras empresas do grupo.

petrobras

Considerada a sétima maior empresa de energia do mundo, líder do setor petrolífero do Brasil e presente em 25 países, a Petrobras anunciou, em dezembro de 2012, a aquisição da Araucária Nitrogenada S.A. por aproximadamente US$ 234 milhões. A empresa era, até então, controlada pela Vale Fertilizantes.

A operação foi aprovada em maio de 2013 pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), e contou com laudos de avaliação da Apsis.

Entre em contato