:

Gestão financeira eficiente é um grande passo para o sucesso do negócio

Apsis em Geral Atualizado em 18.01.2019

Seja pequena, média ou grande, uma empresa precisa fazer uma boa gestão financeira para ser bem sucedida. É importante alcançar metas, realizar o pagamento dos funcionários, impostos e fornecedores e ainda não deixar a rotatividade dos produtos cair. Vários estudos apontam a gestão financeira deficiente como uma das principais razões para o encerramento de empresas no Brasil. Entre as falhas mais graves estão: falta de atenção no detalhamento de cálculos dos custos de produtos e acompanhamento errado das receitas e das despesas.

Hoje, existem diversos instrumentos que auxiliam os gestores desta área a tornarem os processos financeiros mais eficientes – o que resulta em maiores lucros. Neste post, vamos conhecer alguns desses instrumentos e também dicas específicas sobre esse assunto.

Planejamento estratégico

Para construir uma visão bem sucedida do planejamento estratégico de um empreendimento é fundamental que este tenha uma definição clara de suas missões e objetivos. Dessa maneira, a empresa sabe onde está e aonde quer chegar. Os recursos financeiros, humanos e materiais necessários para atingir os objetivos são definidos nesta etapa e a trajetória futura também é discutida, apresentando um verdadeiro mapeamento do momento atual e do futuro do negócio.

A prática da revisão do planejamento estratégico deve ser frequente, adequando o mesmo aos novos cenários, sempre que possível. O planejamento estratégico é fruto de uma reflexão sobre a direção estratégica a ser tomada, bem como sobre os planos operacionais, os objetivos de cada estratégia, os responsáveis e os prazos.

Organização e gestão orçamentária

Toda empresa deveria elaborar um orçamento anual, contendo projeções de receitas, despesas e balanço patrimonial. Esse planejamento também aponta os objetivos financeiros e apresenta um plano de metas e de remuneração variável baseado nessas metas. É importante que o documento apresente as estratégias de preço e melhores ações de mercado definidas pela empresa.

Despesas pessoais x despesas do negócio

A separação entre as contas pessoais e as contas da empresa é uma ação indispensável para ter uma gestão financeira eficiente. Isso pode parecer óbvio mas ainda é muito comum, principalmente nos pequenos negócios, que o empreendedor utilize dinheiro da empresa para quitar débitos pessoais.

Não é preciso muito tempo dessa prática para que as finanças de um negócio acabem se desorganizando, comprometendo a saúde e a estabilidade do empreendimento. Para acabar com esse problema pela raiz, a melhor orientação é que seja estipulado um valor de pró-labore para os sócios administrarem sua vida pessoal desde o início das  atividades do negócio. As contas da empresa deverão, então, ser registradas na contabilidade do negócio como saídas. Dessa maneira, serão sempre tratadas de modo independente, como é o indicado.

Gasto com folha de pagamento

Para que um negócio tenha sua gestão financeira controlada, seus gastos com folhas de pagamento não devem ultrapassar entre 30% e 40% do faturamento. Para evitar esse tipo de situação é importante que o planejamento gerencial dimensione bem a quantidade de funcionários efetivamente necessária. É, ainda, crucial o estabelecimento de um fundo de reserva para eventuais demissões e outros custos previsíveis como 13º salário, férias, entre outros.

Fluxo de caixa

A utilização do fluxo de caixa é muito importante na gestão financeira de um negócio, pois trata-se de um recurso que proporciona conhecer, de forma detalhada, todas as entradas e saídas de recursos do empreendimento em um determinado período de tempo. O principal objetivo de um fluxo de caixa é avaliar ou projetar o montante de capital de uma empresa, visando fornecer um quadro realista de suas finanças. A projeção do fluxo de caixa pode revelar uma visão do futuro das finanças da empresa. Dessa maneira, pode-se conhecer antecipadamente como serão as entradas e gastos de recursos, viabilizando um planejamento para compra de máquinas, equipamentos e outros investimentos necessários.

Vendas

Um dos aspectos mais importantes para o sucesso de uma empresa é a qualidade do seu controle de vendas. Esse processo administra as saídas de serviços ou produtos de um negócio, saídas estas que vão gerar a entrada de recursos financeiros.

Um controle de vendas eficiente prevê a implementação de diversas ações como: utilização de softwares de gestão financeira, registro das vendas realizadas por diferentes meios (dinheiro, cartões de crédito e de débito, cheques e parcelamentos), automatização dos processos de controle e conferência das vendas via cartão de crédito, validação de todos os pagamentos e treinamento de equipes para a utilização da inovação e da tecnologia para alavancar o empreendimento.

Gestão tributária

Outro aspecto importante da gestão financeira é conhecer razoavelmente os tributos e impostos presentes na rotina de um empreendimento. Com base no acompanhamento desses processos, há a possibilidade de se fazer uma programação tributária capaz de mitigar os impactos da alta carga fiscal presente no Brasil. O gestor deve contar sempre com o apoio de profissionais especializados como contadores e modernos sistemas de gestão contábil para realizar o controle dos impostos.

Quando uma empresa integra questões tributárias em seus processos de gestão financeira, ela com certeza acabará tendo vantagens. Os ganhos podem incluir desde um cumprimento rígido das obrigações tributárias até uma redução de custos com possíveis atrasos, multas e enquadramento fiscal indevido.

O preço certo

É extremamente importante que uma empresa atribua o preço certo a seus produtos e serviços. Esses números, quando não são bem estipulados, podem comprometer significativamente o futuro do empreendimento. É preciso que se leve em conta os custos fixos e variáveis que fazem parte da cadeia produtiva dos itens vendidos e levar em conta os preços praticados pela concorrência também. O ideal é que esses valores se mostrem competitivos sem que a margem de lucro seja muito pequena, o que poderá impedir o crescimento do negócio.

Futuro

Todo empreendimento deve contar, para crescer, com projeções sobre o seu crescimento e um guia dos próximos passos a serem seguidos. Em cada novo direcionamento, novos planos estratégicos e táticos são essenciais. Dessa maneira, evita-se a estagnação do negócio além de contribuir para o engajamento dos colaboradores, com novos desafios.

Quer saber mais sobre a importância de um controle financeiro rígido para o negócio, acesse nosso conteúdo sobre consultoria financeira!



Compartilhe