Due diligence e o papel estratégico para investimento em startups

Apsis em Geral Atualizado em 14.05.2019

Quando o termo startup é mencionado, de imediato vem a ideia de algo inovador. De fato, esse perfil de negócio tem a marca da novidade. No entanto, mesmo estando em busca de soluções inteligentes, também são necessários investimentos para o seu crescimento. Um forte aliado para alcançar esse objetivo é o processo de due diligence, que reúne informações primordiais para os futuros investidores.

O mercado de startups está em uma curva crescente muito significativa. Conforme estudo divulgado pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o número de empresas que seguem esse novo modelo de negócio dobrou no Brasil nos últimos anos.

Muitos investidores surgem interessados em apostar nas startups. Para isso, precisam saber se a ideia, o projeto e demais aspectos da empresa são uma oportunidade de lucro, ou se, pelo menos, apresentam indicativos de boas perspectivas futuras.

Para entender esse panorama, o processo de due diligence é utilizado. Ele revela as oportunidades da startup, assim como as fraquezas operacionais e o grau de conformidade contábil.

Além desses pontos, são observados outros aspectos da área fiscal, trabalhista e de governança corporativa, bem como práticas anticorrupção.

Na área contábil, por exemplo, estão entre os pontos analisados:

Portanto, a due diligence é um mapa de ricas informações, capaz de guiar o futuro investidor para a decisão de apostar ou não seu capital na startup.

Quer saber mais sobre o assunto? Baixe agora mesmo nosso material exclusivo com todas essas informações! Não perca a oportunidade de entender melhor esse processo tão importante para empresas de qualquer segmento.



Compartilhe