Previsões e tendências para 2019

Apsis em Artigos Atualizado em 22.12.2018

O ano está chegando ao fim e é hora de se preparar para 2019. Em um mundo cada vez mais complexo e incerto, quem consegue antever e se preparar para enfrentar as mudanças e as transformações do mercado terá sempre uma expressiva vantagem competitiva. Neste artigo, vamos conhecer algumas das principais tendências do mercado financeiro para o próximo ano.

Crowdfunding

O sistema de financiamento coletivo virtual está ganhando força em todo o mundo. A prática, que começou com o objetivo de viabilizar projetos culturais, de tecnologia e de design, está sendo utilizada agora para outros objetivos. O equity crowdfunding é uma plataforma direcionada para financiar, via mercado de capitais, projetos das mais diversas áreas, como mineração, imóveis e reflorestamento.

Blockchain

A tecnologia do blockchain está presente nas transações de moedas virtuais como bitcoin, ethereum e litecoin, e é responsável pelo registro de todas as operações envolvendo as criptomoedas. É obtido um custo menor para as operações como seguros, pagamentos e investimentos, por conta da utilização da tecnologia peer-to-peer (P2P), que permite segurança e rapidez nos processos. Não à toa, essa ferramenta já está presente nas operações do mercado financeiro, reduzindo os custos de forma significativa.

O blockchain possibilita uma grande variedade de aplicações, já que simplifica processos operacionais ao oferecer uma maior precisão de registros com caráter irrevogável de transações. A tecnologia já está sendo bastante utilizada nas transações internacionais pois possibilita operações instantâneas e sem intermediários..

Computação cognitiva

A análise do perfil de um investidor será cada vez mais aprimorada com a tecnologia da computação cognitiva. Esse sistema emprega computadores para processar informações e aprender, sem que seja preciso fazer qualquer tipo de programação. Tudo acontece de maneira orgânica e o processo ajuda os investidores a decidirem onde aplicar seu dinheiro de acordo com o perfil – o sistema sugere a aplicação mais adequada levando em conta todas as informações disponíveis do cliente. A tecnologia é tão avançada que permite prever a probabilidade de sucesso tendo como base projeções reais. Como resultado, a computação cognitiva ajuda a calcular cenários que ajudam o cliente, além de tornar a análise do perfil do investidor mais objetiva e automatizada.

Big Data

Já há algum tempo a tecnologia do Big Data é utilizada para coletar e armazenar dados sobre os hábitos de investimento e rotina financeira de seus clientes. Por conta disso, as instituições são capazes de proporcionar ofertas e serviços personalizados. Não é raro recebermos sugestões de investimentos ou dicas de finanças quando acessamos o internet banking. Essa prática facilita a fidelização dos clientes – que estão cada vez mais exigentes. O Big Data também é uma excelente ferramenta para o controle de fraudes: em conjunto com análises preditivas, é capaz de perceber e avaliar qualquer desvio no comportamento financeiro de determinado cliente. Com isso, fica mais fácil evitar danos e violação de informações.

Prop trading

Esta tendência, que é muito comum nos Estados Unidos, está chegando ao Brasil e tratam-se de empresas que aplicam o capital próprio para obter lucro do mercado. É um tipo de negócio que atrai traders iniciantes pois possibilita um boa curva de aprendizado sobre o mercado financeiro, sem exigir muitos recursos. Embora esse modelo de negócio seja relativamente novo no Brasil, já existem algumas props traders com boa reputação no país. A maior parte das prop traders americanas chega a pagar uma espécie de salário para seus traders, o que é ótimo para iniciantes que ainda podem ganhar para aprender.

Fintechs

As fintechs estão com tudo no Brasil. Essas startups oferecem soluções financeiras similares e complementares às de um banco tradicional, como cartões de crédito, seguros e empréstimos. Pequenas, ágeis e oferecendo produtos inovadores, as fintechs estão obrigando as instituições financeiras tradicionais a reverem suas formas de atuação em um mercado cada vez mais formado por clientes que demandam serviços com mobilidade e personalização.



Compartilhe