ENTENDA COMO O SETOR HOTELEIRO É AFETADO PELA PANDEMIA

Apsis em Artigos, Covid-19 Atualizado em 08.05.2020

O turismo é um dos setores mais impactados diante do isolamento social provocado pelo COVID-19, e tende a ter uma das mais lentas recuperações.

A hotelaria, como um dos “braços” mais importantes do turismo em geral, precisará estar preparada para a retomada econômica, sabendo aproveitar as oportunidades, fazendo a leitura e o acompanhamento corretos desse recomeço.

As medidas governamentais de isolamento social afetaram drasticamente o setor hoteleiro, que conta com mais de 2,5 milhões de leitos, divididos em 43,2 mil modos de hospedagem, entre hotéis, flats, pousadas, hostels, etc., funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano e tem cerca de 85% de seus funcionários com atividades estritamente ligadas ao local de trabalho, o que acabou acarretando em muitas demissões e até no fechamento de algumas empresas.

Segundo uma pesquisa realizada pela FGV projetos, com uma interrupção de três meses no setor de viagens, serão necessários entre 12 e 18 meses para o reequilíbrio das atividades do turismo no país.

Apesar da aderência às medidas provisórias já publicadas e da legislação vigente visarem suavizar todo esse impacto que afeta o setor, durante o distanciamento, são poucas as ações que podem ser feitas. Porém, para um serviço “non stop”, talvez essa parada forçada seja o momento certo para rever conceitos de gestão, de reestruturação, de planejamento, organização e direcionamento de recursos (pessoas, dinheiro, materiais e informação), principalmente para hoteleiros independentes que, por prática de mercado e barreiras financeiras, quase sempre têm seus investimentos e operação financiados com capital próprio e sem “fôlego” para lidar com situações emergenciais.

Nesse momento, a agilidade na gestão de crise, a comunicação com clientes, fornecedores e governo pode reduzir os impactos da pandemia.

Apesar da baixa expectativa dos profissionais do setor hoteleiro, é durante esse momento que um diagnóstico preciso pode tornar seu negócio mais competitivo, flexível e rentável no regresso da economia. Isso é possível conciliando medidas e tendências isoladas, em uma estratégia operacional adequada para cada hotel e, assim, se beneficiar de medidas conjunturais, tais como:

– Estar atento à prorrogação e aos benefícios disponíveis que podem ser disponibilizados temporariamente pelo governo;

– Entender a retomada da demanda doméstica local de cada região;

– Avaliar novos formatos de contratos de trabalho e serviços de terceiros;

– Em uma possível guerra de preços, quais os riscos de baixar as diárias e quando reajustá-las;

– Algumas demandas estão se acumulando, como o caso de grandes eventos que apenas sofreram alterações de data e podem sobrepor outros eventos futuros;

– Avaliar a disponibilidade, necessidade e vantagens de alavancar seu hotel;

– Reposicionamento de mercado;

– Direcionamento de recursos com vendas; o quanto apostar em canal direto ou OTA’s (Online Travel Agencies);

– A mudança no comportamento dos hóspedes e quais as medidas de comunicação mais adequadas.

A Apsis pode ajudar a transformar todas essas informações em dados para que possam ser interpretados e acompanhados, visando maximizar o resultado futuro. Esse é um ponto-chave que pode suavizar a curva de recuperação econômica do seu hotel e, após a pandemia, contribuir para decisões mais assertivas.



Compartilhe