Receita orienta empresas sobre período de amortização de ágio

Luiz Paulo Silveira em Apsis Avalia Atualizado em 08.11.2019

Vale ressaltar que após a Lei 12.973 a mais-valia, ou seja, o excedente sobre o valor do patrimônio líquido contábil pago por uma empresa deve ser decomposto entre os valores justos dos ativos adquiridos e passivos assumidos, e só após a alocação do ágio residual por rentabilidade futura é realizada. A Apsis possui uma equipe multidisciplinar de engenheiros, economistas, administradores e contadores com experiência de mais de 40 anos na identificação e mensuração das mais diversas classes de ativos tangíveis e intangíveis, que poderá assessorá-lo de forma assertiva com relação a valores justos e prazos de amortização.

Leia a matéria completa no Valor Econômico



Compartilhe